fbpx
Turnover organizacional: O que é e quais os tipos?

Turnover organizacional: O que é e quais os tipos?

Rotatividade é um indicador que está diretamente relacionado à eficiência operacional de uma empresa, e muitas das vezes se dá pela falta de fit cultural entre vaga e candidato.

Quando está muito alto, evidencia problemas que podem ser muito graves e afetam os resultados financeiros do negócio e mesmo de um setor inteiro da economia. O índice de turnover no Brasil varia, de acordo com o setor e tamanho.

O índice de turnover no Brasil apresenta valores maiores que o dobro da média mundial. Neste post, explicaremos o que é, mostraremos o panorama atual e os diferentes tipos. Confira!

O que é o Turnover organizacional?

O turnover é o índice que mede a rotatividade dentro das empresas, e que dependendo de sua taxa, pode trazer diversos problemas para a organização, por isso merece uma atenção maior dos gestores. Ele mede o nível de rotatividade de colaboradores dentro de uma empresa, quando um colaborador é desligado, seja por iniciativa própria ou por iniciativa da organização. 

O panorama do turnover no Brasil

Vamos começar falando sobre o cenário do turnover no Brasil, tanto em relação ao restante do mundo quanto internamente, entre as diferentes regiões do país. 

De acordo com uma pesquisa desenvolvida pela Robert Half, com mais de 1.700 diretores de RH, o Brasil teve o pior aumento no índice de turnover entre as 13 nacionalidades envolvidas, no período entre 2010 e 2014. Enquanto a média global ficou em 38%, por aqui, os valores foram de 82%.

Isso significa que o indicador quase dobrou durante esses anos, um dado muito preocupante. Esses dados nos mostram que, conhecer o perfil cultural do seu candidato antes2 de aprová-lo é de extrema importância, e para isso existem ferramentas como o C-Vat, que avalia de forma completa com o teste psicométrico o perfil do candidato a ser escolhido, realizando o comparativo com a vaga. 

Os tipos diferentes de turnover organizacional

O turnover pode ser enquadrado em 4 diferentes tipos, de acordo com a forma como acontece a rescisão do contrato de trabalho e a relação do profissional com a empresa, conforme explicaremos agora.

Turnover disfuncional

O turnover disfuncional acontece quando um profissional de alto desempenho solicita seu desligamento. Trata-se do pior cenário para uma empresa, já que demonstra a falha nos esforços de retenção e tende a impactar negativamente o bom andamento do negócio.

Nesses casos, é essencial realizar uma entrevista de desligamento e investigar o que pode ter causado o pedido de demissão. Assim, é possível criar melhores soluções para o engajamento e satisfação profissional dos colaboradores que permanecerem e os que forem contratados para os times.

Turnover funcional

Na ponta oposta, o turnover funcional é o melhor cenário de um desligamento e ocorre quando um colaborador de baixo desempenho solicita a sua saída. Basicamente, são dois pontos positivos que podem ser observados nessa situação:

  • a equipe abre espaço para um profissional mais adequado;
  • a empresa não sofre um impacto financeiro tão significativo no pagamento das obrigações legais referentes à demissão.

É importante ressaltar que se trata de uma excelente oportunidade para oxigenar a equipe e melhorar a eficiência operacional do negócio. Com o auxílio da análise comportamental, a vaga pode ser melhor definida para que o profissional ideal seja encontrado no mercado. O que traz mais qualidade ao time e melhora os resultados da organização como um todo.

Turnover voluntário

O turnover voluntário ocorre quando um colaborador solicita o seu desligamento. Assim como no funcional, as despesas da demissão ficam a cargo do profissional, a diferença é que não necessariamente se trata de uma pessoa com baixo desempenho.

Apesar da vantagem financeira, esse tipo de situação deve ser acompanhada com atenção, já que evidencia o desejo de saída do profissional da empresa. É importante investigar a motivação para avaliar se o caso é isolado ou se existe alguma falha na proposta de valor oferecida pela organização a ser resolvida.

Turnover involuntário

Por fim, no turnover involuntário a iniciativa do desligamento parte da empresa, que deve arcar com os custos rescisórios. Em geral, ele acontece por questões mais estratégicas do negócio e podem ter forte influência da situação econômica da organização.

Trata-se do tipo que mais tem ocorrido durante a pandemia do novo coronavírus, no qual os empresários se veem obrigados a reduzir seus quadros para garantir a sobrevivência do negócio. 

Conclusão

Como vimos, os índices de turnover organizacional influenciam diretamente a eficiência operacional de uma empresa. Quando estão muito altos, eles interferem na produtividade dos times, afetam o clima e, ainda, afastam os melhores talentos do mercado para o preenchimento de novas vagas.

Portanto, não deixe de dar a devida atenção a isso em seu negócio, informe-se e aprimore seus mecanismos de retenção continuamente.

Gostou do conteúdo? Espero que conhecendo os tipos de turnover organizacional, você consiga identificar qual o mais frequente dentro da sua empresa e aplicar estratégias de acordo. Até a próxima!

Leia Também: Qual carreira seguir? Como saber e definir esse trajeto de vida?

Sobre o Autor

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.